Posts Tagged ‘opinião’

mais uma do http://mentirinhas.com.br/

mentirinhas_618

Vivemos em uma era de extremismos de opinião sem muito embasamento teórico. Se o partido X é criticado, é porque você é militante do partido Y (e vice-versa). Assiste ao programa Alfa, é nerd ou burro demais; Não assiste, é culto ou out-group (definição psicológica aos isolados). O problema não é a defesa de lados, mas sim a coerência e o diálogo. Ficar calado? Mas nunca (ops).

Passadas os primeiros jogos de mata-mata na Champions League 2014, os meninos ficaram pelo caminho, restando agora os homens calejados alçarem o título da temporada. O sorteio dessa manhã de 21 de março deixa claro que não há mais zebras, salvo talvez os dois times ainda zerados ao levantar a orelhuda: PSG e Atlético de Madrid. O time espanhol desbancou nada menos que o heptacampeão – ainda que em queda livre – Milan.

O presente artigo tem como analisar (com notas) os pontos fortes de cada equipe, dividida em ataque, defesa, técnico, citando os pontos fortes e fracos. Ainda consta um palpite do analista que vos escreve sem titubear, com o time ‘favoritado’ em negrito e sublinhado. Entre parênteses, os títulos que cada um tem da Liga.

I) BARCELONA X ATLÉTICO DE MADRID: Um clássico espanhol com ares de disputa pela Serie A.

. Barcelona (4):

Ataque: 10 – Messi, Neymar, Iniesta tem tudo pra desencantar…mais uma vez

Meio-Campo: 9 – O sempre cerebral Xavi tem o apoio de Fabregas. Busquet protege a zaga.

Defesa: 7,5 – Piqué dá conta do recado, em especial pelo alto. O problema é o açougueiro Mascherano e o lesionado Puyol.

Técnico (Tata Martino): 7 – Ainda tem dificuldades para compactar o time

. Atlético de Madrid (0):

       Ataque: 8,5 – Diego Costa é o nome da vez. Mas é isolado por conta das lesões de Villa

       Meio-Campo: 8,5 – o ex-santista Diego faz tempo que não desencanta. Turan pode ser uma boa surpresa.

       Defesa: 8 – Miranda e Filipe Luiz vão querer mostrar serviço pra Felipão. E os outros?

       Técnico (Diego Simeone): 9 – Argentino cascudo. Conhece como poucos a liga europeia

II) REAL MADRID X BORUSSIA DORTMUND: Reedição das semifinais da temporada 2012-2013

. Real Madrid (9):

       Ataque: 10 – Cristiano Ronaldo, Benzema e Morata podem fazer um estrago daqueles.

      Meio-Campo: 10 – Isco, Di Maria e o caríssimo Bale ajeitam pra frente. Modric carrega o piano

      Defesa: 8,5 – Sergio Ramos e a roçadeira Pepe são bons pelo cabeceio. Marcelo é o lateral da seleção

       Técnico (Carlo Ancelotti): 9 – Veterano com bagagem por bons clubes. E com chiclete também

. Borussia Dortmund (1):

        Ataque: 10 – Lewandowski e Reus são os caras de área.

       Meio-Campo: 8,5 – Mkhitaryan e Gündogan abastecem os atacantes. Bender e o capitão Kehl amarram o jogo.

       Defesa: 8 – Hummels e Schmelzer terão sua prova de fogo. Weindenfeller pode se consagrar

        Técnico (Jurgen Kloop): 9,5 – Candidato a melhor do ano em 2013. Montou uma equipe que ‘joga o básico sem comprometer’

III) PSG X CHELSEA: Duelo de times-empresa – o francês do xeique contra o inglês do russo

. Psg (0):

      Ataque: 10 – Ibrahimovic e Cavani são as referências matadoras de suas seleções.

     Meio-Campo: 8 – Pastore e Lucas chegando por atrás é caixa. Motta e Verratti darão segurança?

     Defesa: 10 – Um trio que pode vestir as amarelinhas na Copa: Thiago Silva, Marquinhos e Maxwell

     Técnico (Laurent Blanc): 7,5 – Ídolo como jogador na seleção francesa. Péssimo como técnico

.Chelsea (1):

     Ataque: 8,5 – Pode aumentar com a eficiência de Eto’o, assim como despencar com a deficiência de Torres.

     Meio-Campo: 9,5 – Os selecionáveis Oscar, William e Ramirez vão e voltam. Lampard dá as cartas.

     Defesa: 9 – David Luiz e Cahill são entrosados. Ivanovic e Terry, pesados, podem comprometer.

     Técnico (José Mourinho): 8 – Special One é tático e turrão. Deve um título de magnitude aos blues.

IV) MANCHESTER UNITED X BAYERN DE MUNIQUE: Os diabos vermelhos fizeram uma virada histórica pra cima dos bávaros em 1999.

. Manchester United (3):

     Ataque: 10 – Van Pierse, Rooney e Chicarito. Só uma contusão para diminuir a nota…ops!

     Meio-Campo: 7,5 – Nani, Kagawa e Mata podem desequilibrar a favor. Já Giggs (sim!)…

     Defesa: 7 – Ferdinand e Vidic já passaram dos 30. Rafael ainda dá seus vacilos e Evra é instável.

     Técnico (David Moyes) 6,5 – Tem o fardo de substituir Sir Alex Ferguson. Mas passou sufoco com o Olympiakos.

. Bayern de Munique (5):

     Ataque: 9 – Mandzukic é o homem do cabeceio. Muller é seu companheiro e Pizarro, seu reserva.

     Meio-Campo: 10 – Robben, Ribery, Gotze, Schweinteiger e Thiago Alcântara. Nada a declarar.

     Defesa: 9 – Conta com o seguro Dante, mas peca com o precipitado Boateng. Lahm é o cadeado.

     Técnico (Guardiola): 10 – conseguiu impor bem seu famoso tiki taka, apesar de ainda estar sob desconfiança.

Libertadôôôres (fiu-fiu-fiu-fiu)

Libertadôôôres (fiu-fiu-fiu-fiu)

Faleceu na manhã de hoje (2/4/2014) o ator estaduniense Philip Seymour Hoffman. Encontrado morto em seu apartamento em Nova York, as primeiras suspeitas levam a crer em overdose, já que foram encontrados pacotes de heroína – o ator confessou o vício e a necessidade de tratamento em anos recentes.

Foi-se um ‘novato’ de 46 anos que cravou seu pé na hall de grandes atores a partir da década de 90, com belas interpretações que se adequaram à sua idade: o estudante rico mimado em Perfume de Mulher, os desvairados e aventureiros de Fé Demais Não Cheira Bem e Twister, o articulador em Jogos do Poder e Tudo pelo Poder e  biografando Truman Capote, que lhe rendeu um Oscar em 2006.

Meu critério de bons artistas são aqueles que convencem com vilões prepotentes, homossexuais de respeito e com deficiência que se superam. Hoffman talvez tenha pecado no último quesito, mas incorporou todos os outros com maestria.

Dedico aqui um Top 5 simbólico dos melhores filmes que vi desse artista. Quase todos em grandes parcerias.

5 – Ninguém é Perfeito (1999): Uma drag queen simplória tenta ajudar Robert de Niro pós-avc com terapia de canto. Divertido e cômico.

28insxljciqbxqdp0au9wasgc

4 – Antes Que o Diabo Saiba Que Você Está Morto (2007): Junto com o irmão sem-graça Ethan Hawke, trama o golpe do seguro na loja dos pais que, pra variar, acaba dando errado. Calculista e denso.

5872

3 – Dúvida (2008): Um padre com comportamento suspeito aporrinhado o tempo todo por Meryl Streep. Religioso e culpado (spoiler!).

doubt-5

2 – Missão Impossível (2006): Traficante de armas e de informações sigilosas em jogo de gato e rato com Tom Cruise. Cínico e de dar raiva.

philip seymour hoffman meets philip seymour hoffman

1 – Piratas do Rock (2009): Comanda uma rádio flutuante tocando rock em plena Inglaterra conservadora de Kenneth Branagh. Provocador e hilário.

piratas

Pitacos de corinthianos xiitas exigindo a cabeça fritada de Mário Gobbi, Tite e Alexandre Pato não faltam à nação de 30 milhões de sofredores. Mas, fazendo o (im)possível uso da razão e da coerência, vamos aos fatos.

Primeiro os 7 erros cometidos há muito tempo pelo Timão, retirado do blog do colega http://orandesrocha.blogspot.com.br/:

“01. Deixar o time envelhecer (não renovar).

02. Perder o “sangue nos olhos” após as sucessivas conquistas nos últimos 3 anos.

03. Perder o Paulinho.

04. Contratações mal feitas:

04a – Maldonado e Íbson não são jogadores para atuar no Timão.

04b – Pato foi uma aposta cara demais para uma aposta. Melhor seria ter usado o dinheiro para segurara Paulinho.

04c – Renato Augusto e seu histórico de lesões também uma aposta arriscada, apesar da qualidade técnica indiscutível.

05. Não repor posições deficientes: laterais e meio campo.

06. Complô de jogadores: seja os que foram preteridos, ou que estejam inconformados e/ou insatisfeitos,…

07. Colocar o Pato para bater o último pênalti.

Sim, acho que ontem ele errou a cobrança de propósito, seja para tirar o Tite, seja porque sabe que não continuará no clube.

Mas o maior de todos os erros, será demitir o Tite e contratar Mano Menezes, como sopram os ventos no Parque São Jorge.”

Acrescento agora análises interpretadas a partir de colunistas entendidos e imparciais, como PVC e Tostão:

I) Time manjado: a cadência surpresa há dois anos virou lugar-comum aos adversários, com quase todo o elenco sendo presa fácil. Talvez Ralf e Paulo André sejam as boas exceções

II) Ênfase na defesa: já na primeira passagem de Tite a marca do Corinthians foi a turma do fundão. E a frase ‘1×0 é goleada’ já imperava em 2004. O problema é que o time ficou amarrado demais após a conquista do Mundial

III) Precipitação ao dispensar ídolos: arriscado afirmar que Chicão no lugar de Gil e Jorge Henrique ao invés de Romarinho seria outra coisa, mas cabia à diretoria mais cautela com jogadores fundamentais em títulos recentes.

IV) Maior rigor com torcedores vândalos: ainda tem pagante que se acha no direito de barbarizar nos estádios, e quem toma punição no final é o time. Deixar de jogar no Pacaembu para excursionar no interior causa desgastes variados.

V) Mais cooperativismo e menos vaidade: Andrés e Gobbi, criador e criatura da atual gestão, já sinalizam confronto de egos para manter ou dispensar Tite. É tomar cuidado para que a dupla não vire um modelo Lula-Dilma.

VI) Insistência em perebas, desprezo por promessas: Danilo, Romarinho, Douglas e Sheik foram motivos de xingamentos nos últimos meses. Não é esquecer o que fizeram por consagrações passadas, mas investir em caras novas e promissoras como Diego Macedo, Rodriguinho e Cléber.

VII) Contratar centroavante decente de área: Paolo Guerrero é convocado a todo instante, Pato previsível e fraco. Rumores dizem uma sondagem em Walter Biscoito. Do jeito que anda o ataque, seria uma contratação de peso (o velho trocadilho) para 2014.

Conforme disse meu colega, trocar de técnicos seria uma burrice administrativa. Clubes europeus são o que são por dispensarem jogadores para manter o técnico. Mas talvez tenha chegado ao fim o ciclo de Tite no Timão. Se vai ser bom ou ruim caso a dispensa se concretize? A resposta será uma só: Bá Tchê!

1375917_454306631346055_345628108_n

 

Primeiro minha opinião, depois o parecer do coronel que investiga o caso

Marcelo Rezende endemoniou o game Assassin’s Creed na chacina provocada pelo filho dos policiais em São Paulo. O brasileiro e a velha mania de culpar qualquer coisa por qualquer barbárie.
Caro apresentador e meios de comunicação, sou da geração que jogou à exaustão Quake e Mortal Kombat e nem por isso sou um atirador frustrado que odeia o mundo. Esse tipo de reação, se for constatado o garoto como autor do crime, é resultado de uma cadeia de influências desde o momento em que ele veio ao mundo, passando por educação, convivência e consumo de, por e todas as preposições viáveis, ao seu redor, principalmente os pais.
Só lembrando que nos últimos anos quem vem incitando – e vendendo – a violência é a própria imprensa. A reflexão sobre como cuidar, atentar e vigiar os filhos para evitar fins trágicos como esse começa na velha, respeitosa e básica conversa aberta, e contando sim com especialistas das áreas urgentes (pedagogia, psicologia…).
Dois anos após Realengo, outra tragédia envolvendo menor de idade ganha espaço nos debates, e dessa vez em uma família que não pertencia a classe baixa, fator importante a ser destacado, já que os crimes comuns são justificados pela situação financeira, insuflado pelo abandono e comportamento errôneo dos progenitores.

“Um menino que não tinha problemas comportamentais e elogiado pelos professores. Um garoto de 12 anos sem nenhum traço de bipolaridade, esquizofrenia, psicopatia e/ou psicose. Não sabia lidar com armas. Era um garoto alegre e sociável.
Cinco pessoas foram mortas. Isso é, um garoto sozinho, subjugou 5 pessoas. Enquanto ele atirou em um, os outros ficaram esperando.
Lembrando que, quando uma pessoa da um tiro na própria cabeça ou no próprio ouvido, a tendência clara é o corpo cair para o lado oposto, em torno de 35 cm a 50 cm da arma. Afinal o impulso do impacto do tiro faz a pessoa ir para o lado oposto do tiro.
Se, por um exemplo, os pais foram mortos primeiros, porque a tia e a tia-avó continuaram deitadas? Se a tia e a tia-avó foram mortas primeiro, porque os pais não fizeram nada?
Tiros de precisão na cabeça. Um menino de 12 anos, que esta matando os familiares, não dará, tiro de precisão na cabeça. Geralmente, filhos e/ou pais que matam seus entes, atiram no coração e, quando o tiro é na cabeça, é impreciso. Tem a ‘marca’ do recuo da própria pessoa. Há hesitação na hora do tiro.
É mais fácil culpar quem não pode se defender (afinal ele já morreu) do que apontar o real culpado, BLINDADO PELA MÍDIA.
Um menino de 12 anos monta toda uma cena, mata 5 pessoas com tiros na cabeça, é destro – fato constatado pela família – (e o tiro foi da esquerda para direita) dirige um carro e estaciona na porta da escola, volta e se mata?
O fato da porta não estar arrombada e sim aberta é facilmente explicado. Há duas hipóteses: A primeira é que a própria família abriu a porta por conhecer seu algoz. A segunda é: Na hora que alguém estava chegando, o algoz rendeu a pessoa e entrou junto.”
(coronel Telhada)

1150893_417166728401156_148259223_n

“Há manhãs em que fico revoltado ao ler os jornais.

Aconteceu segunda-feira passada quando vi a manchete de “O Globo”: “Pressão religiosa”, com o subtítulo: “À espera do papa, Dilma enfrenta lobby para vetar o projeto para vítimas de estupro que Igreja associa a aborto”.

Esse projeto de lei, que tramita desde 1999, acaba de ser aprovado em plenário pela Câmara e pelo Senado e encaminhado à Presidência da República, que tem até 1º de agosto para sancioná-lo.

Se não houver veto, todos os hospitais públicos serão obrigados a atender em caráter emergencial e multidisciplinar as vítimas de violência sexual.

Na verdade, o direito à assistência em casos de estupro está previsto na Constituição. O SUS dispõe de protocolos aprovados pelo Ministério da Saúde especificamente para esse tipo de crime, que recomendam antibióticos para evitar doenças sexualmente transmissíveis, antivirais contra o HIV, cuidados ginecológicos e assistência psicológica e social.

O problema é que os hospitais públicos e muitos de meus colegas, médicos, simplesmente se omitem nesses casos, de forma que o atendimento acaba restrito às unidades especializadas, quase nunca acessíveis às mulheres pobres.

O Hospital Pérola Byington é uma das poucas unidades da Secretaria da Saúde de São Paulo encarregadas dessa função. Lá, desde a fundação do Ambulatório de Violência Sexual, em 1994, foram admitidas 27 mil crianças, adolescentes e mulheres adultas.

Em média, procuram o hospital diariamente 15 vítimas de estupro, número que provavelmente representa 10% do total de ocorrências, porque antes há que enfrentar as humilhações das delegacias para lavrar o boletim de ocorrência.

As que não desistem ainda precisam passar pelo Instituto Médico Legal, para só então chegar ao ambulatório do SUS, calvário que em quase todas as cidades exige percorrer dezenas de quilômetros, porque faltam serviços especializados mesmo em municípios grandes. No Pérola Byington, no Estado mais rico da federação, mais da metade das pacientes vem da Grande São Paulo e de municípios do interior.

Em entrevista à jornalista Juliana Conte, o médico Jefferson Drezzet, coordenador desse ambulatório, afirmou: “Mesmo estando claro que o atendimento imediato é medida legítima, na prática ele não acontece. Criar uma lei que garanta às mulheres um direito já adquirido é apenas reconhecer que, embora as normas do SUS já existam, o acesso a elas só será assegurado por meio de uma força maior. Precisar de lei que obrigue os serviços de saúde a cumprir suas funções é uma tristeza”.

Agora, vamos ao ponto crucial: um dos artigos do projeto determina que a rede pública precisa garantir, além do tratamento de lesões físicas e o apoio psicológico, também a “profilaxia da gravidez”. Segundo a deputada Iara Bernardi, autora do projeto de lei, essa expressão significa assegurar acesso a medicamentos como a pílula do dia seguinte. A palavra aborto sequer é mencionada.

Na semana passada, o secretário-geral da Presidência recebeu em audiência um grupo de padres e leigos de um movimento intitulado Pró-Vida, que se opõe ao projeto por considerá-lo favorável ao aborto.

Pró-Vida é o movimento que teve mais de 19 milhões de panfletos apreendidos pela Polícia Federal, na eleição de 2010, por associar à aprovação do aborto a então candidata Dilma Rousseff.

Na audiência, o documento entregue pelo vice-presidente do movimento foi enfático: “As consequências chegarão à militância pró-vida causando grande atrito e desgaste para Vossa Excelência, senhora presidente, que prometeu em sua campanha eleitoral nada fazer para instaurar o aborto em nosso país”.

Quem são, e quantos são, esses arautos da moral e dos bons costumes? De onde lhes vem a autoridade para ameaçar em público a presidente da República?

Um Estado laico tem direito de submeter a sociedade inteira a uma minoria de fanáticos decididos a impor suas idiossincrasias e intolerâncias em nome de Deus? Em que documento está registrada a palavra do Criador que os nomeia detentores exclusivos da verdade? Quanto sofrimento humano será necessário para aplacar-lhes a insensibilidade social e a sanha punitiva?”

(Drauzio Varella)

images

Saudades (e Obrigado) Ayrton!

Posted: 01/05/2013 by sobziro in Eu acho que..., Geral
Etiquetas:,

Além do dia da Labuta, o 1º de Maio é lembrado no Brasil pela partida do último atleta brasileiro com caráter: Ayrton Senna. Ele foi o cara porque:
– Ganhou uma corrida usando somente a segunda marcha, com a memorável imagem em que ele mal conseguia erguer o trofeu
– Nunca se sujeitou às ‘regras-carteis’ da F1 (regras para beneficiar uns, acordos para fazer a alegria de outros)
– Teve personalidade para bater de frente com o mala Alan Prost, diferente de outros brasileiros aí que se curvam às ordens de rádio do pit-stop
– Respondeu às provocações do falastrão Nelson Piquet, que insinuou em rede aberta sua orientação sexual
– Foi tricampeão mundial se valendo de seus méritos e reconhecendo quando o adversários iam melhor, em épocas que pilotos e motores eram extremamente equilibrados (Mansel, Rossberg, Berger…)

– Idolatrado por Juan Manuel Fangio, uma lenda da F1; Ou seja, um argentino fã de brasileiro!
– Deixou um legado filantrópico com o instituto que leva o seu nome, e sua irmã Viviane ainda tenta sair de sua sombra (sem o lendário capacete amarelo em mãos)
– Motivava reuniões de família aos domingos para ver as corridas, a macarronada da vovó corria solta, e até se esquecia do Galvão Bueno narrando
– Era corinthiano declarado

É, ele nunca se arrependeu das escolhas (talvez a Xuxa...ops!)

É, ele nunca se arrependeu das escolhas (talvez a Xuxa…ops!)