Arquivo de Janeiro, 2011

Pontos de Vista

Posted: 29/01/2011 by sobziro in Geral, Humor

Como um singelo iogurte pode denegrir sua imagem para os outros dentro do carro

Anúncios

Matemática do Mendigo

Posted: 25/01/2011 by sobziro in Uncategorized

Final das férias é tempo de gastar dinheiro com material escolar de um lado e planejamento das aulas do outro. Pena que quase ninguém entende esse outro lado. A partir de hoje até o início das aulas serão postados ‘piadas’ com um severo tom de realidade do que é a docência no Brasil. Eis aqui a primeira delas: A Matemática do Mendigo

‘Preste atenção…

Um sinal de trânsito muda de estado em média a cada 30 segundos (trinta segundos no vermelho e trinta no verde). Então, a cada minuto um mendigo tem 30 segundos para faturar pelo menos R$ 0,10, o que numa hora dará:

60 x 0,10 = R$6,00.

Se ele trabalhar 8 horas por dia, 25 dias por mês, num mês terá faturado: 25 x 8 x 6 = R$ 1.200,00.

Será que isso é uma conta maluca?

Bom, 6 reais por hora é uma conta bastante razoável para quem está no sinal, uma vez que, quem doa nunca dá somente 10 centavos e sim 20, 50 e às  vezes até 1,00. Mas, tudo bem, se ele faturar a metade: R$ 3,00 por hora terá R$600,00 no final do mês, que é o salário de um estagiário com carga de 35 horas semanais ou 7 horas por dia.

Ainda assim, quando ele consegue uma moeda de R$1,00 (o que não é raro), ele pode descansar tranqüilo debaixo de uma árvore por mais 9 viradas do sinal de trânsito, sem nenhum chefe pra ‘encher o saco’ por causa disto.

Mas considerando que é apenas teoria, vamos ao mundo real.

“De posse destes dados fui entrevistar uma mulher que pede esmolas, e que sempre vejo trocar seus rendimentos na Panetiere (padaria em frente ao CEFET ). Então lhe  perguntei quanto ela faturava por dia.Imagine o que ela respondeu?

É isso mesmo, de 35 a 40 reais em média o que dá (25 dias por mês) x 35 = 875 ou 25 x 40 = 1000, então na média R$ 937,50 e ela disse que não mendiga 8 horas por dia.”

Moral da História :

É melhor ser mendigo do que estagiário (e muito menos grande parte dos PROFESSORES ), e pelo visto, ser estagiário e professor, é pior que ser Mendigo. Se esforce como mendigo e ganhe mais do que um estagiário ou um professor.

Estude a vida toda e peça esmolas; é mais fácil e melhor que arrumar emprego.

E lembre-se :

Mendigo não paga 1/3 do que ganha pra sustentar um bando de ladrão.

Viva a Matemática.’

 

O texto de Isaac Asimov que mudou a minha vida.

Posted: 23/01/2011 by zegotinha07 in Geral

 

Seria possível reverter a entropia (em termos chulos reverter o irreversível, no caso a energia do Sol)?  Este é o argumento que Isaac Asimov (gênio), usou para escrever um de seus melhores contos chamado “A ultima pergunta”.  O texto de 12 paginas apenas (que parece ser bem menos) conta a historia de varias gerações de pessoas que se perguntam se é possível reverter a ENTROPIA. No texto percebe-se a genialidade do autor quando este cita a utilização de energia solar e super computadores para processar informações extremamente complexas para os homens, além de que o leitor não precisa ser nenhum físico quântico  para entender o texto (procure no youtube o video que ele fala sobre computadores portáteis, vide os livros “Eu, Robo!” e  “Fundação”).

 

Segue abaixo um trecho do conto e o link para fazer o download do texto inteiro:

 

“A última pergunta foi feita pela primeira vez, meio que de brincadeira, no dia 21 de maio de 2061, quando a humanidade dava seus primeiros passos em direção à luz. A questão nasceu como resultado de uma aposta de cinco dólares movida a álcool, e aconteceu da seguinte forma…

Houve um breve silêncio. Adell levou o copo aos lábios apenas ocasionalmente e os olhos de Lupov se fecharam. Descansaram um pouco, e quando suas pálpebras se abriram, disse, “Você está pensando que iremos conseguir outro sol quando o nosso estiver acabado, não está?”

Quando o sol se for, as outras estrelas também terão se acabado.”

“Pode estar certo que sim” murmurou Lupov. “Tudo teve início na explosão cósmica original, o que quer que tenha sido, e tudo terá um fim quando as estrelas se apagarem. Algumas se apagam mais rápido que as outras. Ora, as gigantes não duram cem milhões de anos. O sol irá brilhar por dez bilhões de anos e talvez as anãs permaneçam assim por duzentos bilhões. Mas nos dê um trilhão de anos e só restará a escuridão. A entropia deve aumentar ao seu máximo, e é tudo.”
“Adell estava bêbado o bastante para tentar, e sóbrio o suficiente para construir uma sentença com os símbolos e as operações necessárias em uma questão que, em palavras, corresponderia a esta: a humanidade poderá um dia sem nenhuma energia disponível ser capaz de reconstituir o sol a sua juventude mesmo depois de sua morte?

Ou talvez a pergunta possa ser posta de forma mais simples da seguinte maneira: A quantidade total de entropia no universo pode ser revertida?

Multivac (o computador) mergulhou em silêncio. As luzes brilhantes cessaram, os estalos distantes pararam.

E então, quando os técnicos assustados já não conseguiam mais segurar a respiração, houve uma súbita volta à vida no visor integrado àquela porção de Multivac. Cinco palavras foram impressas: “DADOS INSUFICIENTES PARA RESPOSTA SIGNIFICATIVA.”

Na manhã seguinte, os dois, com dor de cabeça e a boca seca, já não lembravam do incidente.”

E no final de 12 paginas você irá encontrar a resposta definitiva de como reverter a Entropia ou talvez da vida, do universo e tudo mais…

 

DOWNLOAD ISAAC ASIMOV – A ULTIMA PERGUNTA

Agora só baixar e ler!

Sagat: Nova Arena

Posted: 22/01/2011 by sobziro in Ócio Criativo

Quem tem mais de 25 anos vai entender esse photoshop. E talvez dará risada.

Tiger Robocop!

Degustação de Vinho em Minas

Posted: 18/01/2011 by sobziro in Ctrl C/Ctrl V, Humor

– Hummm…

– Hummm…

– Eca!!!

– Eca?! Quem falou Eca?

– Fui eu, sô! O senhor num acha que esse vinho tá com um gostim estranho?

– Que é isso?! Ele lembra frutas secas adamascadas, com leve toque de trufas brancas, revelando um retrogosto persistente, mas sutil, que enevoa as papilas de lembranças tropicais atávicas…

– Putaquepariu sô! E o senhor cheirou isso tudo aí no copo?!

– Claro! Sou um enólogo laureado. E o senhor?

– Cebesta, eu não! Sou isso não senhor!! Mas que isso aqui tá me cheirando iguarzinho à minha egüinha Gertrudes depois da chuva, lá isso tá!

– Ai, que heresia! Valei-me São Mouton Rothschild!

– O senhor me desculpe, mas eu vi o senhor sacudindo o copo e enfiando o narigão lá dentro. O senhor tá gripado, é?

– Não, meu amigo, são técnicas internacionais de degustação entende? Caso queira, posso ser seu mestre na arte enológica. O senhor aprenderá como  segurar a garrafa, sacar a rolha, escolher a taça, deitar o vinho e, então…

– E intão moiá o biscoito, né? Tô fora, seu frutinha adamascada!

– O querido não entendeu. O que eu quero é introduzi-lo no…

– Mais num vai introduzi mais é nunca! Desafasta, coisa ruim!

– Calma! O senhor precisa conhecer nosso grupo de degustação. Hoje, por exemplo, vamos apreciar uns franceses jovens…

– Hã-hã… Eu sabia que tinha francês nessa história lazarenta…

– O senhor poderia começar com um Beaujolais!

– Num beijo lê, nem beijo lá! Eu sô é home, safardana!

– Então, que tal um mais encorpado?

– Óia lá, ocê tá brincano com fogo…

– Ou, então, um suave fresco!

– Seu moço, tome tento, que a minha mão já tá coçando de vontade de meter um tapa na sua cara desavergonhada!

– Já sei: iniciemos com um brut, curto e duro. O senhor vai gostar!

– Num vô não, fio de um cão! Mas num vô, memo! Num é questão de tamanho e firmeza, não, seu fióte de brabuleta. Meu negócio é outro, qui inté rima  com brabuleta…

– Então, vejamos, que tal um aveludado e escorregadio?

– E que tal a mão no pédovido, hein, seu fióte de Belzebu?

– Pra que esse nervosismo todo? Já sei, o senhor prefere um duro e macio, acertei?

– Eu é qui vô acertá um tapão nas suas venta, cão sarnento! Engulidô de rôia!

– Mole e redondo, com bouquet forte?

– Agora, ocê pulô o corguim! E é um… e é dois… e é treis! Num corre, não, fiodaputa! Vorta aqui que eu te arrebento, sua bicha fedorenta!…

(Luiz Fernando Veríssimo)

Pimenta no estado dos outros…

Posted: 14/01/2011 by sobziro in Humor Negro

A tirinha Dr. Pepper é ‘internetcamente’ conhecida pelo seu alto teor humor negro envolvendo seus personagens. Com a tragédia das cidades serranas do Rio de Janeiro não foi diferente…

Fonte: http://blog.drpepper.uol.com.br/?p=3195

Deixemos a parte engraçada e, mais uma vez, sejamos solidários com aqueles que são vítimas tanto do abandono do Estado quanto da ignorância própria.

Top 3 Cagando e Cantando

Posted: 11/01/2011 by sobziro in Humor

Em homenagem àqueles que forçam a voz além do necessário para bradar poemas musicais.

3 – Chris Cornell (Soundgarden, Audioslave e Soundgarden de novo[?])

2 – Paulo Ricardo (RPM, Solo, PR5, RPM de novo, etc)

1 – Brian Johnson (AC/DC desde 1980)

OBS: CONFORME DIZ A MARCAÇÃO, ESSE POST TEM O INTUITO EXCLUSIVO DE FAZER RIR, E NÃO FAZER CRÍTICAS FERRENHAS A ESTES ARTISTAS CONSAGRADOS POR SEUS MÉRITOS…ou quase todos.