Arquivo de Outubro, 2010

Contos Lisérgicos parte 2 de 6 ou 7

Posted: 27/10/2010 by zegotinha07 in Ócio Criativo

A incrivel e curta historia da menina e fofoqueira, Serotonina.

 

Dopamina, apesar do nome estranho, era uma menina feliz, gostava de circular pelo corpo da cidade ao seu bel prazer. Muito jovem, devia retornar a sua casa sempre, nunca passava a noite fora apesar de sempre gostar de sexo, drogas e rock n roll.

Sua irmã Adrenalina era completamente parecida no quesito loucura, não se desgrudavam.  Quando Adrenalina estava na jogada, seu coração palpitava, assim depois que Dopamina chegava, o prazer não se ocultava.

Dopamina era a melhor amiga da Serotonina, se diziam quase hormonias, de tão parecidas (apesar de uma  ser loira e da outra ser morena). Um dia Dopa, como era conhecida, chamou Nina para dar uma volta no desconhecido.  Nina era bem comunicativa, rapidamente fez amizade com os Neuros e os Transmissores, uma banda de rock indie local e que por ventura viria a ser a sua favorita depois que começou a namorar o baixista e vocalista, o Neuro. Ela apesar de meiga, era uma leva e trás, tudo que Dopa e seus outros amigos diziam sobre o som da banda, Nina contava para Neuro.

Um dia Dopa e Lina resolveram dar uma coça em Nina para ela parar com essa mania mesquinha de ser X9. No calor e na emoção do momento de raiva e de um prazer perturbador puseram um saco preto na cabeça de Nina e a levaram para o beco.  Lá a colocaram dentro de uma lixeira já desacordada.  Naquele dia Serotonina não voltou pra casa e muito menos para Neuro, com quem já estava morando junto.

Ela se envolveu com uma galera pesada os tais do Ecstasy e LSD que eram dois traficantes locais muito famosos.  LSD  chegou a ser preso varias vezes nos anos 70 e seu filho Ecstasy nos anos 90 e 2000 pra fazer o pai orgulhoso.

Serotonina engordou, deixou de ser aquela patricinha que só tocava de roda nos lugares mais populares da cidade.  Ansiosa pra mais uma dose das drogas não conseguia dormir direito, passou a ficar deprimida e ver a vida de uma maneira esquizofrênica. Via elefantes andando e cavalos correndo (nessa realidade elefantes voam e cavalos não tem pernas).

Os detetives Fluoxi e Cetina da policia local foram incumbidos a tentar resgatá-la  mas era tarde demais. Por pura coincidência sua banda favorita,  a supracitada Neuros e os Transmissores, teve seus integrantes dizimados no mesmo dia que ela passou dessa para melhor, quando passavam por um tiroteio causado por Ecstasy e LSD a respeito de um resgate de uma tal de Serotonina em que ambos traficantes diziam não conhecer.  Dopamina e Adrenalina saíram intactas e inocentes, pois apenas 20% desses casos são metabolizados pela policia local.

 

Não se assustem, o título do post traduz o famoso jargão de Homer Simpsom (D’oh!) para os idiomas chinês e coreano. O artista britânico Banksy fez uma abertura para o quarteto de Springfield com um certo ar de crítica e/ou ironia. Nele, faz referências nítidas de que a série explora a mão-de-obra asiática para fazer os desenhos e outros produtos ligados aos personagens, em especial nos dois países citados no início.

Pelo que andam dizendo, a abertura circulou normalmente, assim como várias outras criativas feitas no decorrer dos 20 anos da animação. Porém, aqueles que tem na parede do quarto pôsters de Chavez, Fidel e Ahmadinejad já dispararam contra a Fox, detentora de direitos e produção do desenho. Pra mim não passa de um humor-negro muito bem bolado. As mudanças de música e de cores foram as melhores. Vejam o vídeo e decidam-se por si mesmos.

 

Morello, o fanfarrão

Posted: 18/10/2010 by sobziro in Ctrl C/Ctrl V

Inauguremos hoje uma categoria arroz com feijão em quase todos os blogs, inclusive nos famosos, que é repassar algo já publicado em outros meios, de jornais a otras cosas. E como o SWU ainda tá fresco na memória de muita gente, o artigo transcrito não foge do assunto.

Álvaro Pereira Júnior, redator e repórter de reportagens meia-boca do fantástico, desceu a lenha no ativista-revoltado Tom Morello(RATM), em sua coluna semanal (e ambígua) ‘Escuta Aqui’, no caderno Folhateen. Segue abaixo o porrete:

TOM MORELLO, MANÉ NA MÃO DO MST

“Quando vi fotos de um cara que admiro e respeito, Tom Morello, guitarrista do Rage Against The Machine, pagando de otário ao lado dos malacos do MST, me lembrei de outra foto-símbolo da militância ingênua: Sting, bonzinho, ao lado do índio Raoni, nos anos 80.

Sting reclamou por anos de todos os chapéus que levou dos índios. Tomaram-lhe dinheiro e prestígio. Ele e Raonisó reatarm recentemente, unidos contra a usina de Belo Monte. De Morello, não sei o que o MST tomou. Se não levou nada, foi porque não deu tempo.

Morei na Califórnia, conheço esse tipo de gringo bem intencionado e politicamente correto que abraça qualquer bandeira.

Coma esta carambola, ela foi plantada organicamente por velhinhas do altiplano da Bolívia. Ele come.

Recite estes versos, eles foram ditados por um vovozinho analfabeto no sul do Piauí. Ele recita.

Dê dinheiro para os plantadores de milho de Burkina Fasso, que estão perdendo terreno para plantações transgênicas. Ele dá.

Nessa semana, foram publicadas novas fotos da holandesa que aderiu à guerrilha das Farc, na Colômbia, achando que cerrava fileiras por um lindo ideal de igualdade. Quando descobriu que lutava ao lado de traficantes a quem interessava tudo, menos igualdade, era tarde. Agora, é refém dos pilantras.

Gringo é assim: só enxerga preto e branco. MST, movimento que luta por terra para quem não tem? Claro, vamos aderir. Deve ter sido isso que Tom Morello pensou. Só não caiu a ficha porque não ficou tempo suficiente com aqueles tipos.

Mas, pensando bem, ainda é tempo. De um jeito ou de outro, daqui a pouco ele recebe a conta.

Aí, como Sting, vai chiar. Tarde demais.

PS: RATM, da próxima vez no Brasil, toquem e só. Pode ser?”

(Álvaro Pereira Júnior)

 

Com eles, "Killing in the Name of" tem complemento

 


Balanceando as coisas, Deus, seu sacaninha!

Posted: 17/10/2010 by zegotinha07 in Humor Negro

Vamos ao balanço geral de mineiros….

33 mineiros resgatados no Chile

 

 

20 mineiros mortos na china

 

11 mineiros mortos em acidente de onibus

Total —-> 33 mineiros salvos – 20 mineiros mortos – 11 mineiros mortos = 2 mineiros vivos.

Deus, seu sacaninha! Se eu fosse mineiro ficaria esperto, está aberta a temporada de caça, faltam 2 vagas para equalizar a equação.

 

 

Atualização….  19/10/2010.

 

Achamos os 2 ultimos mineiros vivos.

 


Mineiros ‘Holliudianos’

Posted: 16/10/2010 by sobziro in Uncategorized

Muito provavelmente os 33 sobreviventes da mina chilena (pareceu noticiário do Datena agora) ganharão uma filmagem retratando o período em que viveram como minhocas a 700 metros de profundidade. Opções para diretores, enredo e atores é o que não falta nos sites de Humor. Eis aqui algumas sugestões:

 

1 – El Cobre Caliente

DIRETOR: Pedro Almodóvar

SINOPSE: Susana Valenzuela, amante de Yonni Barrios, relembra os momentos de amor e ternura que teve com o chileno enquanto aguarda o resgate em um acampamento para as mulheres dos mineiros. Entre passeios e declarações, há espaço ainda para os momentos íntimos e picantes, os quais ela faz questão de descrever às companheiras. Marta Salinas, a esposa traída, se prepara para atormentar a vida de ambos.

ELENCO: Penélope Cruz (Susana), Javier Bardem (Yonni) e Leonor Watling  (Marta)

 

2 – The Mine

DIRETOR: Michael Bay

SINOPSE: Indignados com a demora no resgate dos chilenos, o chefe de uma empresa voltada para demolição resolve montar um grupo com Bruce Albright, especialista em resgate, Gordon Evans, doutor em mecânica e a geóloga Diana Williams, além de soldados, a maioria ex-detentos, que não medirão esforços e explosões em prol desses pais de família enterrados vivos. Mas a crosta da mina guarda alguns imprevistos aos socorristas.

ELENCO: Jon Voight (Mr. Dynamyte), Will Smith (Bruce Mendes), David Morse ( Gordon Evans) e Liv Tyler (Diana Williams)

 

3- Fear Under the Earth

DIRETOR: David Lynch

SINOPSE: Após semanas confinados na mina San Jose, os irmãos Avalos começam a ter visões, fazendo com que seus colegas mineiros suspeitem do comportamento de ambos. A partir do momento em que Renán afirma que uma índia araucana em forma de espírito conseguirá guiá-los até a superfície, todos começam a ter alucinações diversas, restando pouco tempo para a equipe de resgate chegar as profundezas da mina com os sobreviventes ainda sãos.

ELENCO: Naomi Watts (Índia Chalera) e Emilio Esteves (Renán Avalos)

 

4- The Mapuches

DIRETOR: Martin Scorsese

SINOPSE: Osmán Araya, um dos sobreviventes no refúgio, é viciado em jogos de azar e deve alta quantia aos Nuevos Araucanos, um grupo de mafiosos no Chile. Temendo pela vida de entes próximos, ele negocia uma delação premiada em troca da proteção dos pais e amigos. Ao mesmo tempo, Sr. Zamorano, chefe dos Nuevos, tem um membro infiltrado entre os socorristas e planeja aniquilar Araya. O detetive Fuentes é o principal aliado do mineiro na superfície.

ELENCO: Leonardo de Caprio (Osmán Araya), Robert de Niro (Sr. Zamorano) e Daniel Day-Lewis (Det. Fuentes).

 

5 – Cursed Silver

DIRETOR: Guillhermo Del Toro

SINOPSE: Em uma das andanças para passar o tempo dentro da mina, Claudio Yañez Lagos descobre um reino misterioso, com prata e ouro em abundância. Recebidos como deuses, alguns dos mineiros se utilizam da má fé para extrair os minerais do local, despertando a ira do rei Menohualt, que lança sua corja de monstros sob o comando de Kuenyui para eliminar os trapaceiros. Lagos tentará a qualquer custo defender seus colegas, mesmo sendo traidores.

ELENCO: Ron Perlman (Claudio Lagos), Federico Luppi (Menohuatl) e Doug Liman (Kuenyui)

 

 

Adaptações ao Terceiro Mundo

Posted: 14/10/2010 by sobziro in Uncategorized

A mulher barbuda que não é atração de circo (?) promete tirar mais brasileiros da miséria. É verdade que está acessível às classes B e C hoje o que era considerado luxo ou regalia há tempos (VIVA O PAGAMENTO PARCELADO A JUROS!). Deixando a política de lado, o bom do pobre são suas adaptações: Não tem como comprar ou pagar, reinvente!

Pra deixar qualquer Lata Velha com inveja

Um lustre para iluminar a mesa de jantar

Ch#pa Steve Jobs!

Degustação de frutos do mar

Piscina Sustentável: Água com 1001 utilidades

 

NOW TESTIFY!

Posted: 12/10/2010 by zegotinha07 in Uncategorized

SWU aconteceu nesse fim de semana e tal… todo mundo ficou sabendo que o show do Rage Against The Machine foi polemico por varios motivos alem da destruição em massa da galera… Essas coisas a parte, SERIO eu nunca vi tanta gente pulando junto e um show tão foda, mesmo pela televisão.

 

 

Olha a cara de felicidade do Zack de la Rocha, o solo sem guitarra do Tom Morello, e a galera pulando no NOW TESTIFY! IMPRESSIONANTCH!

Branquelos malvados

Posted: 11/10/2010 by sobziro in Humor

Hellraiser tirou os pregos da cara e teve seus bastardos zanzando pelo mundo dos games. Ambos com gênio ruim.

Contos Lisérgicos, parte 1 de 6 ou 7

Posted: 08/10/2010 by zegotinha07 in Ócio Criativo

Vou publicar aqui nessa serie de uns 6 ou 7 textos os meus contos mais lisergicos, que nada mais nada menos são historias originais da cabeça perturbada e ociosa por muito tempo deste que vos escreve. Tentem ler sem se confundir,  muito obrigado pela paciencia e comentem por favor.  Começando pelo…

 

O centrico , o ismo.

Hego, o centrico achava que a Terra e os homens que habitavam ali eram o centro do universo e de tudo que existia ali. Deus só ter colocado a vida aqui, nesse cantinho brega da galaxia e pronto. Mas apesar da teoria contraria de seu irmão, Helio, o centrico, dizer que o Sol era que ficava no centro das atenções, alegando  que tudo se derivava do Sol, as religiões, os Deuses ou o Deus,  tudo isso contando apenas com o documentário Zeitgeist que ele havia assistido 1 semana antes de entrar nessa discussão.No mesmo lugar, estavam os irmão gêmeos,  porem não idênticos, Hego, o ismo e Altru, o ismo.

Hego, o ismo, defendia o não compartilhamento de informações e só queria saber de si. Seu irmão gêmeo Altru (que era baixo), era extremamente gentil com as ideias dos outros e com as pessoas e as vezes solidário até demais (achavam que ele era gay por isso, mas ele só era muito bonzinho e prestativo). Na verdade ele era o mediador de tudo, sendo o pior mediador do mundo por aceitar tudo e dar razão a todos.

A discussão discorrida não vem ao ponto nessa historia, mas sim quão perto estavam os irmão sem saber e de como eram parecidos  Hego, o ismo e Hego, o centrico. Certa vez sem querer estavam no mesmo lugar as 3:33 horas e 33 segundos foram confundidos por suas esposas que voltavam da mesa de frios passando pela mesa de sobremesa em um jantar de premiação do qual os dois concorreram mas não levaram por puro filha da putismo do universo, que já tinha feito demais em colocá-los no mesmo lugar na mesma hora e ainda serem confundidos por suas mulheres em lados opostos da mesa sem um pelo menos ter visto o outro por conta dos arranjos de flores e pingüins de berinjela.  Por coincidência do universo novamente, estavam no mesmo lugar mas dessa vez formalmente apresentados como especialistas, cada um em sua área e como disse, discutindo sobre o que não vem ao caso.

Eram irmãos, separados na maternidade por sua mãe cujo nome não me vem a mente, porem posso dizer que era a inspetora mais gostosa do colégio em que os irmãos estudaram quando adolescentes (sim, complexo de Edipo mesmo, mas os garotos não sabiam que era a sua mãe aquela boazuda que colocava os alunos pra dentro das salas). O pai era um tal de Sigmund, apelidado de Freud, por que vivia ferrando com a vida dos outros inclusive a de seus filhos  quando estudavam no colégio em que dava aula.

Até faziam uma brincadeira de mal gosto quando Sigmund aplicava uma prova sobre bacias hidrográficas(sim, ele era professor de geografia), diziam “Ele te Freud mesmo com essa prova”.  O que os irmãos Hego não sabiam, era de que eram univitelinos, sendo criados separados por 33 anos em lugares diferentes (um na Áustria e outro na Alemanha), e somente agora estavam desconfiando de algo por terem características semelhantes e dividirem, as vezes, o mesmo interesse e o nome (universinho filha da mãe viu).

Helio e Altru também perceberam a incrível semelhança quando os “irmãos” levantaram quase que ao mesmo tempo e foram até o quadro negro tentar entender a teoria Copernica que Helio havia escrito (não, não era esse o assunto, e sim uma parte dele). Altru sempre muito astuto e paciente resolveu dar um tempo na discussão para investigar esse gene egoísta que não havia conseguido ser o centro do universo perdendo para mãe natureza gerando gêmeos.

Depois de vários exames de DNA e idas a programas vespertinos e a de roedores televisivos, para melhor esclarecer tudo e contar ao mundo o que realmente havia acontecido. Foi que realmente Hego era irmão de Hego, e a única coisa que não dava pra entender apesar das provas concretas de que eram irmãos de sangue e deviam ser mais compreensivos entre si aprendendo a compartilhar tudo ou pelo menos andarem juntos igual os irmãos Medo e Desejo(isso segundo Altru, claro). O porquê de Hego, o centrico não aceitar dividir a atenção dos outros e não arredar o pé quanto à teoria de que a Terra é o centro de tudo e que só existe vida aqui e que o universo é um tremendo desperdício de espaço e energia, era por ele ter muitas características de seu irmão que tinha pouco conhecido, talvez fosse egoísta.  E Hego, o ismo não aceitava dividir nada com ninguém apesar de concordar em vários aspectos com a teoria do irmão (mas não dizer é claro) às vezes gostava de ser egocêntrico.

No final da discussão do assunto, apos a conclusão de tudo, não se dando por vencido, Helio, o centrico, re-discutiu ferozmente com seu ex-irmão Hego.  Helio acabou se rendendo as teorias de centrico por pura e espontânea ameaça de ser queimado vivo em uma fogueira ao entardecer. Já Altru aceitou tudo isso, mas não ligou se converteu ao Budismo e viveu até os 120 anos como monge ajudando os outros e buscando a iluminação junto com sua amada Nir, a vana. O outro Hego não quis gravar entrevista sobre o que achava de tudo aquilo e seus planos para o futuro, pois estava mais confuso que o autor desse texto.

 

 

 

Ser pop hoje é exótico: pessoas veneram ídolos que vestem roupas coloridas e perucas mais de que indiscretas, penteados ousados e repertório não muito original, porém engraçado e com sua parcela de ‘grude’. Para os leigos eu poderia muito bem estar criticando a banda Restart e sua manada, quer dizer família, só que essa moda se expandiu para outros campos, afundando de vez, inclusive, a política.

Entender o mundo além dos movimentos de rotação e translação (se é que há pelo menos essas noções) é tarefa, pra não dizer obrigação, impossível ao homem-jovem. O Snack Culture (A cultura mastigada) temperada de massificação atrofiou e limitou o cérebro do aborrecente, os quais têm pais, tiozões ou avós que, no tempo de suas tenras idades, bradavam contra o sistema repressor assistindo Goddard, ouvindo Pink Floyd, lendo Kundera, focando o Vietnã e derrubando Collor.

À grosso modo a culpa é do capitalismo, mas não defendo a ditadura do proletariado, antes que me rotulem de leninista, castrista ou maoista. O que vale é a especulação, o lucro e a venda desenfreada, ou seja, só se conhece o que exige remessas ou reposições de estoque esgotado. Dependendo de como se talha a celebridade que está para bombar, o lixo vira um luxo (em se tratando retorno financeiro e não de qualidade).

Às favas se o artista compõe seu trabalho, seja ele uma música, livro ou filme, de maneira original e que carregue uma certa bagagem de conhecimento que mereça respeito. Ser ‘bonitinho’ e ‘engraçado’ dilacerou o que era ‘culto’ e ‘inteligível’. A onda Emo, a ‘reinvenção’ vampiresca e o enxeção de saco na Bienal são a prova cabal de como o culto ao ‘Medonho porém fácil’ atinge altos patamares aqui no Brasil. O negócio é vender marca e não passar uma mensagem. Tom Jobim, Jorge Amado e Di Cavalcanti devem estar regurgitando no além.

No lado político o caso é muito mais alarmante: o jovem brasileiro está se lixando pra política, por volta de 80% pra ser mais exato. Por viverem em uma época de relativa paz, em um país com uma democracia vigente há quase um quarto de século, a juventude brasílica prefere pesquisar sobre a última fofoca de uma celebridade ao invés de se inteirar sobre Pré-Sal, PAC e Medidas Provisórias.

O descrédito da população com a honestidade e eficiência do Estado é tamanha que elegeram um suposto analfabeto chamado por palhaço na mídia como deputado federal em São Paulo, com quase 1 milhão de votos a frente do segundo colocado (http://divulgacao.tse.gov.br/#). Muitos disseram que era voto de protesto, só que a falta de informação permitiu o estratagema de puxar votos para colegas de chapa.

Estou convicto que este artigo será taxado de ‘invejoso’, ‘calunioso’ e ‘exagerado’. Só não aceito ser rotulado como manipulador, já que meus gostos culturais e políticos estão muito bem definidos, e não pretendo aqui fazer propaganda de quaisquer um.

Uma aula de física?

Jogo do Brasil na Copa?