Arquivo de Agosto, 2010

Spider Paint

Posted: 29/08/2010 by sobziro in Geral

Àqueles que tem mais de 20 anos, lembram da época dos rabiscos no paint do Windows 94? A internet ainda não estava essas coisas de hoje e não havia hobby melhor (ao lado do jogo Paciência), certo?

Pois um ‘artista’, o nome está entre aspas porque não confio totalmente na honestidade da obra, resolveu fazer algumas imagens, que normalmente são feitas à base de inúmeros programas, usando apenas a ferramenta de acessório.

Talento (com parcimônia e tempo) ou mero charlatanismo?

Goku Kanguru?

Posted: 25/08/2010 by sobziro in Humor

Um provável início da série ‘Coincidências da Vida’

O (verdadeiro?) terror da literatura

Posted: 21/08/2010 by sobziro in Geral

Com a moda Crepúsculo S/A, alguns especialistas do assunto resolveram cornetar a febre. Stephen King foi um deles, dizendo que Stephenie Meyer, autora da ‘saga’, não escreve nada que preste. Não demorou muito para que escudeiros da escritora pegassem em armas e contra-atacassem, disparando contra King adjetivos como ‘invejoso’, ‘otário’, além de afirmarem que a sequência no cinema é superior aos filmes de terror de Stephen.

Longe da minha pessoa ser um seguidor incondicional de Stephen King. Para o crítico literário Harold Bloom, os obras do escritor americano “…é literatura de terceira categoria. Se acreditam que existe em sua obra algum valor literário, realização estética ou sinal de inteligência humana criativa, estão dando o testemunho da própria imbecilidade.”

Porém, seguindo ou não os padrões literários, Stephen já deixou sua marca na literatura do gênero de terror/suspense, com adaptações memoráveis para as telonas (Ok, algumas deixaram a desejar). A resposta dele ao grupo de fãs enraivecidos não foi das melhores para os devotos. Vejam abaixo vídeo com áudio e legenda e tirem suas conclusões

‘…Y VIVA A FESTA DO PEÃO!!’ (Prof. Piola)

Ócio Criativo do dominó

Posted: 18/08/2010 by sobziro in Ócio Criativo

O sociólogo Donenico de Masi defende a ideia da primeira parte do título do post no que se refere ao equilíbrio entre os deveres (estudo e trabalho) com o lazer de cada indivíduo, que pode resultar num desempenho melhor em um ofício.

Os dois vídeos abaixo mostram mais ou menos isso. Trata-se daquela brincadeira penosa do dominó, quando se leva horas ou turnos para montar e poucos segundos pra acabar, com um videoclipe do Fatboy Slim (sempre achei originais as ideias dos clipes desse DJ) e uma possível  montagem caseira com garrafas de bebidas.

Viajando Com Bertão II

Posted: 15/08/2010 by zegotinha07 in Humor

Dessa vez a analise é da musica Menina Veneno do Ritchie. Vejam o clipe…

Ops… clipe errado (PORRA RITCHIE, porque foi deixar as bibas estragarem sua musica cara?)

Agora sim… Ritchie.

Agora vamos para a letra…

um abajur cor de carne, um lençol azul
cortinas de seda, o seu corpo nu” –
Porra Ritchie, um abajur cor de carne, que motel de fudido hein?

“menina veneno o mundo é pequeno demais para nós dois
em toda cama que eu durmo
só dá você” –
Caramba, o mundo não era pequeno demais pra nois dois, como que na cama só da você? A não ser que esse “dar” ai seja com outra conotação.

“menina veneno,
você tem um jeito sereno de ser
em toda noite no meu quarto
vem me entorpecer
me entorpecer”
–  Um jeito SERENO de ser que ENTORPECE.

Isso foi um Hit dos anos 80… até o proximo Viajando com Bertão.

Apenas uma vez

Posted: 12/08/2010 by zegotinha07 in Geral

Ao ver o trailer acima, você deve pensar que está vendo um filme comum sobre um casal de músicos que se conhece. Errado!!  Você vai ver um dos melhores e mais tocantes filmes já feitos até hoje. Um baixíssimo orçamento foi utilizado para que ONCE, Apenas uma vez no Brasil, de 2006, fosse produzido pelas ruas da Irlanda.

Sinopse.

Ele é um talentoso músico, que ganha a vida com seu violão nas ruas de Dublin e ajuda o pai em uma loja de aspiradores de pó. Ela é tcheca que anda pelas mesmas ruas, vendendo rosas para sustentar sua família e tem como hobby o piano. O acaso fez com eles se encontrassem e a paixão pela música fará com que eles vivam uma experiência inesquecível. Uma linda história de amor embalada por músicas que traduzem os caminhos do coração.

O mais interessante, no entanto, são as musicas produzidas pelos próprios atores durante o filme ou pouco tempo antes com a banda formada pelos dois (The Swell Season) e como vieram às inspirações para tal, como na cena em que eles vão a uma loja de instrumentos tocar juntos e de uns simples acordes no violão e no piano surge uma bela canção. As musicas neste caso não são para dar ambiência, mas sim elas acabam contando um pouco de cada momento de cada personagem, dando uma profundidade maior a historia. Uma delas (Falling Slowly)  que ganhou o Oscar de melhor canção. Portanto se alguém gosta de musica e cinema, fica aqui a dica de trilha sonora também – ONCE – Apenas uma vez.

Falling Slowly, a musica é só dar o play aqui em baixo e a tradução é aqui ó

Motéis Ltda

Posted: 05/08/2010 by sobziro in Humor

Costuma-se dizer que na guerra e no amor vale tudo. Na modernidade, isso se encaixa perfeitamente na propaganda, já que ela é a alma do negócio.

Segue abaixo os melhores outdoors sugerindo o melhor para ‘um programa a 2’ (ou mais ¬¬)

Gaiola das Cabeçudas

Posted: 03/08/2010 by zegotinha07 in Humor

Qual a diferença entre o Lutero e o Kant…. um é iluminista e o outro protestante! ” Umas das partes da genial esquete do programa Comedia MTV protagonizado por Marcelo Adnet, Paulinho Serra, Dani Calabreza e etc… no musical percebe-se a influencia de Monthy Pyton dos caras (lembrei do futebol de filosofos).

Futebol de filosofos.

Vai ter muito funkeiro (e não funkeiro) não entendendo porcaria nenhuma desse video.

Erasmo Carlos ou Parte 2 do Top 5 de Parcerias

Posted: 02/08/2010 by sobziro in Top 5

A cinco melhores parcerias de minha autoria baseia-se em apresentações ao vivo, que podem ser conferidas nos tubes e torrents da vida. A contagem está regressiva pela importância, adicionada de um bônus ao final

5º – Richard AshCroft com Coldplay – Bittersweet Symphony ( Live 8 )

De um lado…

…O vocalista do The Verve, um dos rivais saudáveis do Oasis no cenário Britpop dos anos 90. Excêntrico e firme, mandou bem na apresentação.

Do outro…

…Coldplay, talvez a banda inglesa com maior notoriedade desde quando surgiu, há 1o anos. Calmos, românticos e pops, Chris Martin & Cia encantaram a grandiosa plateia em Londres

Deu sanduba porque…

…O show foi transmitido para quase todos os países do mundo, e os ‘meninos ingleses’ não fizeram feio, tocando o hit do Verve com uma ótima adaptação do som do violino ao piano de Martin


4º – Jimmy Page/John Paul Jones & Foo Fighters – Rock And Roll (Foo Fighters -Live At Wembley)

De um lado…

…Dois dos remanescentes do Led Zeppelin: Um bruxo da guitarra (pra quem duvida, assista ‘A Todo Volume’, que será abordado mais pra frente) e um simplório baixista que ‘aparece sem aparecer’.

Do outro…

…A banda Foo Fighters. Com Dave Grohl assumidamente fã do saudoso John Bonham e  Taylor Hawkings se arriscando como Robert Plant. Como sempre, a dupla entretem a plateia com piadas e palavrões.

Deu sanduba porque…

…A apresentação em pleno Wembley, reduto dos históricos shows ingleses como Queen, ajudou e muito. O sangue jovem misturado com os dinossauros dos anos 70  foi de arrepiar qualquer novato ou esclarecido do Rock decente.

3º – Bruce Springsteen com R.E.M. – Man on The Moon (Campanha Vote For Change)

De um lado…

Um cantor revoltado que batia no peito pra soltar a voz rouca nos anos 80 criticando seu país natal.

Do outro…

Uma banda totalmente fiel às suas origens alternativas e universitárias.

Deu sanduba porque…

Man on the Moon, clássico folk de Automatic For The People, ganhou força com os solos de Springsteen junto a presença de palco do REM. Uma pena tal esforço ter sido em vão, e a imagem de todos que compunham a caravana Vote For Change quase sucumbiu por conta dos pró-Bushnianos.

2º – David Bowie com David Gilmour & Richard Wright – Comfortably Numb (Live at the Royal Albert Hall)

De um lado…

…O camaleão lendário do rock, que se deu bem em todos os gostos que experimentou, musicais ou não.

Do outro…

…O guitarrista de uma banda psicodélica com ótima voz e solos que merecem reverências.

Deu sanduba porque

…Comfortably Numb é um hino à repressão e à entorpecência. Então nada melhor do que um Bowie lamentando a parte que era de direito do sem-graça Roger Waters, com Gilmour tocando elegantemente.

1º – Neil Young com Pearl Jam – Keep On Rockin’ on a Free World (Live at VMA 1993)

De um lado…

…O cantor canadense autor de canções que vão desde o violão e gaita estilo Bob Dylan até o rock raivoso pra agradar qualquer metaleiro, e sem o vomitado de Derrick Green.

De outro…

…Um dos vários grunges de Seattle, que na época já ganhava o espaço merecido na mídia.

Deu sanduba porque…

…Pearl Jam nunca escondeu sua influência neilyoungiana (Eddie Vedder fez outros apresentações com Neil Young após essa ‘perfomance’). A música agitada com três guitarras e dois vocais bem trabalhados são dignos de reconhecimento e medalha de ouro desse top

BÔNUS

Rita Lee & Milton Nascimento – Mania de Você (Acústico MTV Rita Lee)

Pra quem achava que meu gosto era exclusivamente gringo, taí um bônus estritamente brazuca. A transformação em marcha lenta dessa música é um convite ‘pra não fazer nada’ mesmo. Adicionado do murmúrio limpo e encantador do intérprete carioca criado em Minas, tal canção já vale o álbum.