Arquivo de Julho, 2010

Viajando com Bertão I

Posted: 29/07/2010 by zegotinha07 in Ócio Criativo

Esse pode ser um bom nome para analises musicais, talvez isso vire uma coluna ativa nesse blogue.

Ouçam/Vejam a musica a seguir e reparem na frase abaixo do vídeo.

Na musica Parabólica do Engenheiros do Hawaii, Bertão diz:

– “Paralelas que se cruzam em Belém do Para”

Vou desvendar nesse texto, o que realmente ele quis dizer quando falou:

“Paralelas” – Pessoas fazendo sexo, dependendo da posição podem ficar paralelamente (papai mamãe).

“que se cruzam” –  Pessoas fazendo sexo estão cruzando, coito é cruzamento de genes.

“em Belém do Pará” – Provavelmente a filha dele, Clara é paraense de concepção.

Aguardem/Sugiram a próxima musica.

Vampiros Pops (e frescos)

Posted: 26/07/2010 by sobziro in Humor

Quadrinho dedicado a todos os fãs de Crepúsculo, Eclipse, Lua Nova…

Porque SAGA só existe o de gêmeos, p%#rra!

Os ultimos 3 documentarios ou não, parte 1

Posted: 21/07/2010 by zegotinha07 in Geral

Já perceberam que tudo aqui vai ser repartido em parte 1 e parte 2 né?

Simonal – Ninguem sabe o duro que dei  (2009)

Assista e aprenda como esse pais trata os verdadeiros artistas!

Documentario sobre a vida e morte de um dos maiores senão o maior cantor brasileiro. O cara era muito bom. A platéia vinha  abaixo com ele, era um dos raros casos em que havia realmente uma presença de palco contagiante. Sua pilantragem (estilo de som que ele falava que fazia) deixava a platéia em suas mãos. Sergio Mendes (um dos maiores produtores musicais e musico/compositor) ficou com receio, certa vez, de entrar no palco do Maracanãzinho depois de Simonal.  Após o escândalo nos anos 60/70 durante a ditadura o cantor passou a ser esquecido, diga-se , propositalmente pela mídia e morreu abandonado em meados dos anos 2000. Nota 8,6 no IMDB, daí você já pode ter uma certa noção do nível desse documentário.

The U.s. vs. John Lennon (2006)

Assista e aprenda como o EUA tratam as pessoas que incomodam.

Esse conta como os Beatles acabaram (culpa da Yoko) e põe nas costas do  presidente Richard Nixon, a morte de Lennon. To brincando, mas ao meu ver Yoko Ono realmente teve sua influencia nisso (eu não queria acreditar, mas enfim…). Em “Os EUA contra John Lennon” é mostrado como e a origem das idéias de protesto do ex-beatle surgiam, como algumas musicas eram compostas, como seus protestos influenciaram na historia americana e no governo Nixon. As perseguições que John sofria por seus atos e no final, sua morte no inicio dos anos 80. É claro dando a entender que o assassino era contratado do governo americano.

Kenny (2006)

Assista esse filme... e se surpreenda! hahaha

Kenny é um documentario interessantissimo sobre banheiros quimicos. Ok, nem é tão interessante assim. Mas o FILME conta a historia de Kenny, um cara que vive de banheiros químicos. Ele tem uma empresa que fornece esse tipo de sanitário para eventos. O FILME mostra os tipos de dificuldades que o pessoal que cuida da manutenção, transporte e instalação sofre, como vandalismos, falta de higiene e etc. É um documentário de uns  90 minutos mais ou menos, depois disso passa a ser um filme.

Roberto Carlos ou Parte 1 do Top 5 de Parcerias

Posted: 19/07/2010 by zegotinha07 in Top 5

Roberto Carlos e o seu (semi chará) parceiro Erasmo Carlos eram uma dupla imbatível na adaptação de musicas e na composição na época da jovem guarda. Baseado nisso nós deste humilde blog pensamos nas parcerias mais legais que surgiram em nossas mentes quando o tema de duetos foi sugerido….

Lembrando que nós desconsideramos os feitos pela Coca-Cola, pelo menos eu desconsiderei… mas vai que aparece algum Fresno com Chitãozinho e Xororó aqui né?

1º  Sarah Brightman & Paul Stanley – I Will Be With You

A Sarah é uma cantora lírica e  Paul é um dos vocalistas e guitarristas do Kiss(se você não souber o que é o KISS, se mate por favor!). Não sei como surgiu essa união e isso é uma coisa que eu gostaria de saber em varias musicas, mas ficou legal,  porque a voz dele da muito certo, na minha opinião, com a dela, contrapondo uma voz suave e limpa(dela) com uma cheia e suja, rouca(dele). A letra da musica também sugere um amor conturbado do tipo “eu ainda te amo mas você ta em outra”, arriscaria em até dizer que um amor parecido com o do filme 500 dias com ela. Ta aqui em primeiro lugar sinceramente porque foi o primeiro dueto que me veio a mente quando comecei a pensar nesse post.

2º  Queen & David Bowie – Under Pressure

Essa junção dispensa comentários. Todo mundo sabe quem foi o Queen, Freddie Mercury e quem é David Bowie.  Ta em segundo lugar nesse post por ser a união mais fodida que eu lembrei, é um clássico de uma banda clássica com uma participação clássica, enfim, dispensa qualquer justificativa de estar aqui a não ser a do 2º lugar. Ta em segundo por que eu sempre lembro do famigerado Ice Ice Baby daquela merda do Vanilla Ice, sinceramente!

3º  Within Temptation & Chris Jones – Utopia

Banda de metal sinfônico provavelmente europeia (já viu que sou muito fã deles né) e o tal de Chris Jones  é inglês e sinceramente eu tive que recorrer ao google e descobri que ele é um cantor de dance music e afins. O 3º lugar aqui se justifica por um refrão grudento e pelo clipe que é bastante interessante com um velho de chapéu andando pelo mundo e vendo as coisas horrorosas que aqui acontecem e não fazendo quase nada, eu deixo pra vocês interpretarem quem é o velho e pensarem porque ele é tão acomodado assim.

4º Kamelot & Simone Simons – The Haunting

Outra banda de heavy metal sinfônico, só que dessa vez Americana. A moça é inglesa, vocalista da banda Epica (brincadeiras a parte). Sinceramente ta aqui porque a Simone Simons é muito gostosa, se liga no cabelão ruivo balançando no final do vídeo.  O vídeo acima é de um trecho do show do DVD do Kamelot – One Cold Winter’s Night do qual ela participa. A musica é praticamente uma repetição da historia do Fantasma da opera (posso ta falando muita merda aqui, mas a letra fala sobre um cara que persegue uma mulher pelo seu talento e a assombra).

5º  – Gal Costa & Herbert Viana – Lanterna dos afogados

Talvez uma das coisas mais inusitadas que eu já coloquei em um top 5 até agora. Gal Costa cantora popular brasileira e Herbert Viana vocalista da banda Os Paralamas do Sucesso. O dueto vale pela bela interpretação da musica e é claro o resultado final. A musica foi gravada no Acustico MTV Gal Costa em 1997. Aqui o caso é o mesmo do 1º lugar, uma voz linda e limpa com uma voz rouca e suja, ta em quinto lugar porque eu fui descobrir sobre a existência desse acústico quando eu vi o vídeo da Gal Costa com o Zeca Baleiro cantando Vapor Barato.

Bonus

O primeiro Top com bonus… no caso aqui é a conhecidíssima musica tema do Fantasma da Opera, interpretada pela banda Finlandesa Nightwish. Vale ressaltar de como a Tarja canta bem esse tipo de musica e como que a voz do Marco, o baixista, se destaca no dueto.

Nightwish – Phantom of the Opera

Ficou tudo mal justificado, mas que se foda, é a opinião.

Ainda essa semana, Erasmo Carlos ou Parte 2 do Top 5 Parcerias.

‘Single Ladies’ e seus filhos bastardos

Posted: 17/07/2010 by sobziro in Geral

O clipe desse hit da Beyoncé já não é novidade nem para as mulheres trajadas de burka no Afeganistão, assim como a curiosidade de que uma das dançarinas que a acompanha é transexual.

Não demorou muito para que Single Ladies desse algumas crias, a exemplo do chatíssimo Rebolation. A primeira, e mais engraçada, aconteceu no Saturday Night Live, com Justin Timberlake e a própria cantora.  Outra foi a propaganda da Seara antes da convocação da Copa, com o trio Ganso-Robinho-Neymar fazendo suas firulas.

Por fim, a paródia tchuc-tchuc (já dizia Marcelo tas) do filme Alvin e os Esquilos 2. Segue abaixo a encenação no programa americano, a propaganda e o trecho do filme:

Ditadores Musicais

Posted: 15/07/2010 by sobziro in Ócio Criativo

Uma radio russa de nome Galaxy 92 ousou na criatividade das imagens publicitárias. Tendo como intuito associar a rádio como um modelo a ser seguido e ‘ouvido’, usaram da figura de três líderes de grande importância no século XX: Adolf Hitler (Alemanha), Josef Stalin (União Soviética) e Mao Tsé-Tung (China).
No entanto fizeram algumas alterações nas figuras dos governantes, relacionando-as com símbolos da música com altas doses de ironia em frases da legenda. Stalin se rendendo aos E.U.A.? Hitler reconhecendo o Povo Negro?

É conferir e aplaudir o resultado, tanto pela ideia quanto pela montagem. UMA SINGELA HOMENAGEM AO MÊS DE ANIVERSÁRIO DO ROCK. ‘Como é bom ficar mais velho e saber que nunca vai morrer!’

'O futuro da música pertence ao negros'

'Eu abençôo a América pelo Rock n' Roll'

'O Hard Rock é a verdadeira Revolução Cultural'

Expectativa a Priori, Maravilha a Posteriori

Posted: 13/07/2010 by zegotinha07 in Top 5

Dando continuação ao post sobre filmes que decepcionaram, aqui vão os filmes que ao primeiro olhar podem te decepcionar, mas a mensagem aqui é: PERCA SEU TEMPO PORQUE VALE A PENA!

1- Taken ou Busca Implacavel (quem que põe esses nomes, sinceramente ¬¬)

Até as ultimas consequencias...


O que eu esperava?

Esperava um filme dramático, cheio de conversas, com pessoas que não agissem por conta própria, daquele tipo de filme que a policia é acionada, o personagem principal, no caso Liam Neeson, fica só se lamentando pela cagada.

Na verdade foi:

Um baita filme de ação frenética, não deixa você respirar em momento algum. O personagem principal é forte e sentimentalmente intenso. Na cena que ele jura de morte os bandidos pelo telefone, pra mim entrou pro hall de cenas clássicas. Lembrando que a direçao é de um Frances, e eu geralmente gosto muito do cinema desse pais produz.

No final…

No final eu me surpreendi tanto que acabei mudando o meu jeito de ver os filmes com o Liam Neeson, nunca tinha visto o cara ser violento, ágil em lutas e ser sangue frio. Na minha opinião ele fez muito bem o papel.

2 – Sempre ao seu Lado ou Hachiko

Relação entre um homem e um cão da raça Akita

O que eu esperava?

Um filme no estilo Marley e Eu. Muito drama em cima de um cachorro.

Na verdade foi:

Muito drama em cima de um cachorro, só que ele não morre, quem morre é o dono. Não se preocupem, eu contando esses fatos o filme não deixa de ser chocante e de fazer qualquer durão como eu chorar igual uma mocinha.

No final…

É uma historia verdadeira, de uma amizade verdadeira entre homem e animal, depois que você ver esse filme vai achar que Marley & Eu é só uma produção Hollywoodiana pra ganhar grana.

3 – Romance

Veja esse filme acompanhado(a) de preferencia

O que eu esperava?

Mais um filme nacional, com muita putaria e uma historia fraca.

Na verdade foi:

Uma encenação moderna de Tristão e Isolda vivida pela Leticia Sabatella (que tá mais linda do que nunca nesse filme) e pelo Wagner Moura (o capitão nascimento, que prova saber ser sensível tambem). Os dois são atores de teatro, que acabam se conhecendo em um teatrinho em que ele encenava as peças para poucas pessoas, quando ela entra na vida dele, os dois se apaixonam…

No final…

O filme surpreende porque as cenas de sexo (a Letícia aparece pelada sim), não são tão vulgares e até servem pra mostras quão intensa era a paixão dos dois. Um nacional que vale a pena e me surpreendeu.

4 – Reine Sobre mim ou Reign over me (Sim toca a musica do The Who no filme)

O valor de uma amizade

O que eu esperava?

Não sei bem ao certo o que eu esperava ao ver esse filme, acho que um papel cômico do Adam Sandler  pra complementar o sofrimento do outro personagem do filme vivido pelo Don Cheadle,  apesar de já saber da linha “Dramedia” que o Adam vinha seguindo.

Na verdade foi:

Um filme que prova mais uma vez que atores de comedia fazem muito bem papeis dramáticos. Vejam o Jim Carrey em Brilho Eterno De Uma Mente Sem Lembranças, Cine Majestic….

No final…

Um baita filme intenso, que te comove e se bobear te faz chorar no final e mostra como amigos devem ser.

5 – O Nevoeiro ou The mist

O que você faria se não houvesse mais alternativa?

O que eu esperava?

Um suspense na linha de O Apanhador de sonhos, e outras obras mal adaptadas de Stephen King para o cinema.

Na verdade foi:

Até a metade do filme mais ou menos foi o que eu esperei, depois da metade até o final me fez pensar.

No final…

No final é um filme que mostra a relação pai e filho,  como as pessoas reagem a um desastre, como as crenças religiosas influem na hora da reação, o tipo de pessoas que existem no mundo e no final do filme uma cena que me fez indicar esse filme pra todo mundo que estava com receio de ver, porque te faz pensar no que você faria.

é isso ai, discorda do nosso top 5? comenta ai e explica o por que!

Justin Bi(ba)eber o Car*#%lho!

Posted: 12/07/2010 by sobziro in Geral

ndo na contramão (ainda bem) dos posts à la discurso de Fidel Castro, hoje o blog divulga o trabalho de um singelo oriental. Trata-se de Sungha Jung, um garoto da Coréia do Sul de 11 anos de idade que dedilha seu violão clássico monstruosamente bem. Sensação no Youtube, alguns vídeos contém mais de 1 milhão de acessos.

Segue abaixo dois links em que o possível mini-Yamandu do oriente toca duas músicas (de início quem ouve o som sem ver pode jurar que é dueto de violões): ‘Kiss from a Rose’, do cantor Seal, e ‘Tears in Heaven’, de Eric Clapton.

Há outros vídeos com gravações de outros hits, como Billie Jean (Michael Jackson), Living on a Prayer (Bon Jovi) e With or Without (U2), circulando no site (www.youtube.com). Basta digitar o nome do instrumentista e ver seu repertório.

Expectativa a priori, decepção a posteriori

Posted: 08/07/2010 by sobziro in Top 5

A palavra ‘brochante’ soa tão comum aos ouvidos de jovens e adultos hoje que sua qualificação extrapolou seu lugar de origem, ou seja, na cama entre quatro paredes. Nada mais é do que rotular tudo o que é possível experimentar com nossos sentidos (sim, todos!) como uma grande farsa, algo que era para nos dignificar e que não passou de uma ótima propaganda enganosa após a ‘investigação’.

Eis que vos trago cinco filmes que me hipnotizaram com seus trailers muito bem editados, porém não passaram de grandes frustações no momento em que aparecem os créditos finais. A principal mensagem aqui nesse top é ‘NÃO PERCAM SEU TEMPO!’ e será o primeiro de muitos, infelizmente.

1º – À Procura da Vingança (de David Von Ancken. Com Pierce Brosnan, Liam Neeson, 2006)

O que eu esperava?

Um bang-bang de alto nível, que retratasse muito bem a paisagem estaduniense pós-guerra civil, e uma atuação digna dos protagonistas, com uma elegância dos conterrâneos do Reino Unido

Na verdade foi…

Um enredo e trama que seguiu fielmente o título em português. Com perseguições, armadilhas, subornos e trisurdos (mais que absurdo) sem tamanho.

Salva alguma coisa?

A bem da verdade o filme não é de todo ruim. os takes que mostram as paisagens temperadas e a sequência de emboscadas foram muito bem-feitos. O final do filme estraga o conjunto da obra. Não vou ser chato de contar aqui, mas assistam e comprovarão minha teoria.

Um último desejo James Bond?

2º – Tá Rindo de quê? (de Judd Apatow. Com Adam Sandler, Seth Rogen, 2009)

O que eu esperava?

Já estava ciente de que não era mais uma comédia pastelão com Adam Sandler no comando, no entanto esperava um drama nivelado como Reine Sobre Mim, trazendo Seth Rogen para esse teste de ‘camaleão’ (ator que atua bem em qualquer gênero)

Na verdade foi…

Uma longa e extensa gravação de quase duas horas e meia retratando o cotidiano de humoristas stand up (os monólogos encenados por atores como Chris Rock ), com o tom básico de moralismo, uma pitada de paixão remember mal-resolvida e nada de Rob Schneider.

Salva alguma coisa?

Um Eric Bana como corno dramático pendendo pra comédia ajuda um pouco na risada, mas ainda não vale o preço do aluguel ou o tempo perdido no torrent.

Tá vendo algo engraçado ali? Nem eu!

3º – O Dia em que a Terra parou (de Scott Derrickson. Com Keanu Reeves, Kathy Bates, 2008)

O que eu esperava?

Uma adaptação decente de muitos clássicos, apesar de não ter visto os originais como Uma Saída de Mestre e Dragão Vermelho.

Na verdade foi…

Um Nell adaptado com a mesma cara de sistemático num filme sem pé nem cabeça, além dos efeitos especiais de péssima qualidade.

Salva alguma coisa?

A beleza de Jennifer Conelly, e só. A debandada de catástrofes lembram os blockbusters de Roland Emmerich

Hello Mr. Klaatu. Are you surprise to see me?

4º – O Reino (de Peter Berg. Com Jamie Foxx, Chris Cooper, 2007)

O que eu esperava?

Nada além do básico ‘Nós americanos somos o exemplo, e os muçulmanos, terroristas!’, só que com conteúdo e qualidade de fotografia e trama. Ah sim, e a Jennifer Garner com roupas mínimas!

Na verdade foi…

O básico ‘Nós americanos somos o exemplo, e os muçulmanos, terroristas!’, sem muito conteúdo com uma trama mais manjada que a convocação do Dunga. Pra completar, a Jennifer Garner é durona e vestida de soldado.

Salva alguma coisa?

As informações com estatísticas mostradas logo no início e a fotografia.

E aí? Acharam o Bin Laden? e o Demolidor?

5º – Leões e Cordeiros (de Robert Redfort. Com Tom Cruise, Merly Streep, 2007)

O que eu esperava?

Uma obra-prima que mostrasse a política nua e crua dos EUA num embate com a imprensa. Esperava muito mais também dos três nomes que encabeçam o filme

Na verdade foi…

Uma entrevista de um senador à uma jornalista de renome, um debate entre aluno ‘que almeja ser alguém no futuro’ e seu professor, uma operação mal-sucedida de ianques no Afeganistão, com dois soldados se estropiando, lógico, heroicamente.

Salva alguma coisa?

Nem a entrevista, nem o discurso demagógico do professor, nem os soldados (ops, contei o final!)

'É mais fácil eu explicar a política imperialista nossa do que os fundamentos da Cientologia'

Há algum tempo eu convivia com uma menina que achava extremamente interessante, ela me dizia certas coisas que parecia que ela estava lendo a minha mente. Nossos gostos musicais eram os mesmos, os papos fluíam no msn, coisa de começar a conversar as 8hrs e ir até as 5hrs da manhã sem perceber. Hoje em dia ela mudou um pouco, não falo mais com ela com tanta frequência, mas de vez em quando agente troca recados no orkut, falamos sobre séries. Mas muito pouco. Naquela época não só compartilhamos os mesmos gostos musicais, nós compartilhavamos ideias.

trop

Artistas Tropicais

Pode até parecer maluco dizer isso, mas é a pura verdade, em parte eu concordo com que eu ouvi dentro do meu carro indo para o Parque do Peão ver alguns shows.
Dizia que percebeu que o melhor da musica nacional surgiu na época do regime ditatorial, isso porque segundo ela a repreensão é o melhor estimulo pra criatividade. Na parte em que eu concordei foi a de que hoje não tem nada original no Brasil, ou até mesmo no mundo, a não ser novas “modas” musicais que são bem abaixo do que se ouvia antes. Veja que foi nos anos 60, durante um regime militar que surgiram os grandes nomes da musica nacional com o movimento da tropicalia e com eles surgiram Os Mutantes, Chico Buarque, Gilberto Gil, na mesma epoca Wilson Simonal, a Jovem Guarda, assim, depois pra surgir algo bom levou-se mais ou menos 20 anos com o boom do rock em nossas terras. Tem que se considerar tambem nesta epoca, os festivais na tv (Record, Tupi, Cultura), em que alguns artistas criavam as musicas somente como forma de combate a censura da época, a exemplo do vídeo deste post, a classica “Pra não dizer que não falei das flores” do Geraldo Vandré que teve um final parecido com o do Simonal, abandonado pela midia em um estado depressivo.

Simonal

"Simonal, ninguém sabe o duro que dei", documentário que conta a historia do maior cantor do Brasil

Fui reparar na minha lista de musicas se é verdade, e realmente vi que a maioria das minhas musicas são internacionais do tipo rock clássico, progressivo e bandas com pelo menos 20 anos de existência. Os nacionais que tenho são bem mais velhos que eu, salvando algumas mais novas. Na parte em que eu não concordei foi a obvia em qualquer regime autoritarista, a já dita Censura, o famoso Pau de Arara pra quem não andava na linha, o sumiço repentino pra nunca mais aparecer, eram as situações que assolavam o pessoal criativo/rebelde da época.

Ah… lá nos shows só porcaria. Um bando de babacas misturando Van Halen com Bonde do Tigrão em colants tigrados. Quase vomitei, mas provavelmente deve ter sido o álcool consumido pra aguentar aquilo tudo. Vi também um tonto em cima do palco com um violão cantando musicas dos outros, nada mais original. É aquela coisa, “Na natureza nada se cria, tudo se copia.”

miguxos

As flores, ui! hahaha

Bom, falei tudo isso pra falar que não adianta nada essas bandinhas de merda coloridas nacionais aí, surgirem falando que são a salvação do rock, ou até mesmo os gringos que também se dão o titulo de Jesus. A não ser que as coloquem em uma cela, retirem todos os efeitos e equalizadores, as deixem apenas com um amplificador, uma guitarra porca, uma batera, um baixo e um microfone até q saia algo diferente do normal. Discordem ou concordem nos comentários, afinal vivemos em uma democracia, cada um tem o direito de consumir a porcaria que lhe convém!

é isso ai!